quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

[As Letras da Maria 02 - BR] Golfinhos e Tubarões - Tais Cortez

 Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? No mês passado saiu o meu primeiro post aqui no blog da Anne (eu falei sobre o livro "Garotas de vidro", se você não viu, clica aqui para ver). Hoje vou falar sobre um livro que já resenhei lá no meu blog, mas gosto tanto dele que preciso comentar sobre ele aqui: "Golfinhos e Tubarões - O outro mundo", escrito pela Tais Cortez e publicado pela Chiado Editora em 2013.

Resenha, Golfinhos e Tubarões, Tais Cortez, livro, fantasia, vampiro, chiado

 O livro é narrado em primeira pessoa por Victoria, uma garota órfã que foi adotada aos cinco anos por um casal rico que não lhe dava muita atenção. Ela não se lembrava de nada de sua vida antes da adoção. Quando fez quinze anos, mudanças estranhas começaram a acontecer: seus cabelos ruivos tornaram-se pretos, seus sentidos ficaram mais aguçados, ela ficou mais forte e alguns de seus sonhos eram premonições.

 Até que Victoria perdeu o controle sobre si mesma, um dia ela ficou nervosa e quase machucou gravemente seus pais adotivos. Foi então que Lisa e Vitor apareceram em sua casa e a levaram para um colégio interno. Mas não era um colégio comum, e sim um colégio para pessoas como ela: mutantes. Num primeiro momento, Victoria não gostou muito da ideia de ir para esse colégio, mas como precisava aprender a se controlar, aceitou ir. Quando aprendesse o suficiente, estava determinada a partir para algum outro lugar.

 "Não é uma questão de entender por que existimos, mas de saber existir sendo o que somos."

 "Acordaria no mesmo lugar no dia seguinte. E no outro. E no outro. Contra a minha vontade, minha vida tinha mudado. E eu estava convicta de que nunca mais seria a mesma." (página 37)

 Outro motivo também fez com que ela fosse para Aprendum (esse era o nome da escola): quando Lisa lhe mostrou Aprendum em uma visão, Victoria pode observar alguns alunos, mas um lhe chamou a atenção, isolado e misterioso. Ela sentiu uma necessidade de vê-lo de perto.

 Victoria foi para Aprendum, onde passou a ter aulas bem diferentes, para desenvolver suas habilidades. Ela descobriu que seus pais biológicos também eram como ela e haviam estudado naquele colégio, Victoria ficou sabendo que eles morreram pouco após uma guerra entre mutantes do bem (que seriam os golfinhos) e mutantes do mal (os tubarões). Ela queria saber mais sobre eles, entender porque não se lembrava de seus primeiros anos de vida, mas parecia que as pessoas que teriam as respostas para suas perguntas não estavam dispostas a lhe contar.

 Em Aprendum, Victoria foi se sentindo acolhida e fazendo novas amizades. Mas a pessoa de quem mais queria se aproximar, Alex (o garoto misterioso que a encantou na visão de Lisa), parecia querer evitá-la a todo custo. Alex não evitava apenas Victoria, mas todos os outros colegas da escola. Ele era metade humano, metade vampiro, e seu lado vampiro poderia ser uma ameaça para os demais alunos, de forma que Alex sempre se isolava.

 "Tudo relacionado a ele exercia efeito hipnotizador em mim. E eu o seguiria por todo o mundo, naquele mesmo instante, se ele me pedisse." (página 93)

 Mas Victoria desenvolveu uma verdadeira obsessão por Alex, e faria de tudo para se aproximar dele, conhecê-lo melhor e ser, pelo menos, sua amiga. Essa aproximação dos dois foi bem difícil, e trouxe graves consequências para todos. A autora criou um meio-vampiro que não tinha medo da luz solar, mas que precisava aprender a controlar sua sede de sangue e decidir para qual lado seguiria (e eu torci muito para que ele seguisse para o lado do bem). Victoria teve que ser muito persistente e corajosa para mostrar a Alex que era forte o bastante para conseguir se defender dele.

 "Golfinhos e Tubarões - O outro mundo" tem um toque de Harry Potter (escola para jovens com poderes especiais), X-Men (mutantes) e Crepúsculo (amor entre vampiro e ser de outra espécie), e o resultado dessa mistura ficou muito bom! Gostei muito do livro, que foi ficando melhor a cada página e eu fui me conectando aos personagens cada vez mais.

 Na história tem aquelas divergências básicas entre adolescentes, um querendo se mostrar melhor que o outro; tem as amizades que foram sendo construídas de maneira bem convincente; tem um vilão muito malvado e detestável e, claro, tem romance. Ah... o romance! A Victoria é aquele tipo de personagem capaz de fazer tudo por quem ama. E eu torci tanto, mas tanto para que ela e o Alex tivessem um final feliz! Pela natureza dele, os dois não podiam ter muito contato físico ou ele sentiria dor ao tentar controlar seus instintos vampirescos. Imaginem que triste não poder abraçar uma pessoa que você gosta.

 "Contive o impulso de acariciar seu belo rosto. Eu já lhe causava dor quando o tocava acordado e não queria perturbá-lo em seu tranquilo sono. Talvez esse fosse o preço de sua inumana beleza: eu não podia tocá-lo, limitando-me somente a contemplá-lo à distância." (página 365)

 "Eu sabia que novos obstáculos viriam. A ninguém era permitido ser tão feliz sem que fosse cobrado um preço por essa felicidade. Não importava, eu pagaria o que fosse para estar com Alex. As coisas são simples quando se define aquilo que se quer. E eu o queria. Com todo o meu ser, eu o queria." (página 243)

 Victoria e Alex são personagens que garantiram um lugar no meu coração. Falando no Alex, depois da Victoria, ele foi o personagem que mais gostei. Fiquei tentando adivinhar quais segredos ele escondia em seu passado.

 Creio que a autora poderia ter descrito as características físicas de alguns personagens de forma mais sutil e menos repetitiva, principalmente no início do livro. A rotina de estudos no Aprendum também poderia ter sido melhor explorada, achei um absurdo a Victoria ter que ir para uma aula no dia seguinte em que chegou no colégio e não ter recebido a mínima orientação sobre como essas aulas funcionariam. E achei que ela demorou bastante para mergulhar na busca por suas origens.

 Depois da leitura, entendi o que a capa significa e ela tem tudo a ver com a história. A diagramação está muito boa, com margens, espaçamento e letras de tamanho bom. As páginas são amareladas e tem uma textura porosa.

 Recomendaria? Sim, sim e sim! "Golfinhos e Tubarões" foi um livro que gostei e que recomendo, principalmente para quem gosta de boas histórias, que misturem fantasia e romance, daquele tipo que a gente quer saber como termina mas não quer que acabe.

 Releria? Sim, amo esse livro!

Por hoje é só, espero que vocês tenham gostado do post de hoje. Alguém aí já leu "Golfinhos e Tubarões"? Ah, lá no meu blog tem uma entrevista com a autora Tais Cortez, para conferir é só clicar aqui.

Até breve!