terça-feira, 12 de julho de 2016

[Resenha 57] Os garotos corvos - Maggie Stiefvater (A Saga dos Corvos #01)

*** Daqueles que quando ficou bom, terminou ***

Meu projeto #PassouDaHoraDeLer: Concluído 1 de 10.




Livro 01 de 04 da série A Saga dos Corvos
Editora Verus 
376 pág.

A Saga dos Corvos (The Raven Cycle):
01 - Os garotos corvos (The Raven Boys)
02 - Ladrões de Sonhos (The Dream Thieves)
03 - Lírio Azul, Azul Lírio (Blue Lily, lily blue)
04 - The Raven King (deve sair em português no segundo semestre de 2016)


Sinopse: Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos,­ Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los — até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela.

Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra: ficar longe dos garotos da Aglionby. Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca.


Gansey tem tudo — dinheiro, boa aparência, amigos leais —, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos: Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco.

Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza.

De Maggie Stiefvater, autora do aclamado A Corrida de Escorpião, esta é uma nova série fascinante,­ em que a inevitabilidade da morte e a natureza do amor nos levam a lugares nunca antes imaginados.


Opinião:
"Os garotos corvos" é o primeiro livro da série de quatro livros da autora Maggie Stiefvater. Este foi meu segundo contato com a autora, pois ano passado eu li "Calafrio", primeiro livro da série "Os Lobos de Mercy Falls". Gostei da leitura, mas não tanto quanto esperava e acabei não indo adiante com a série dos lobos. Acho que posso dizer quase o mesmo sobre "A Saga dos Corvos". 

A autora é boa em desenvolver personagens. Muito boa. Todos os personagens são bem estruturados. Nenhum deles é muito perfeito ou muito falho. São pessoas comuns, nesse aspecto: com seus defeitos e qualidades. Lhe darei o mérito: é difícil de criar pessoas realistas assim.

A trama em si também não é ruim. Leia a sinopse para mais informações. A mitologia que Maggie Stiefvater está construindo nessa série é bem interessante: nunca havia ouvido falar em "linhas ley" até minha primeira resenha de "Os garotos corvos" e mais tarde um pouco, no seriado (que estou amando, por sinal) "The librarians".


Prestes a estrear a sua 3ª temporada,
este seriado é maravilhoso para leitores

Minha leitura foi assim: as páginas passaram com facilidade até mais de metade do livro. Os capítulos não são muito longos e a história é boa. Eu estava curiosa para descobrir algo nessa "caça ao tesouro" em que os personagens estão empenhados. O livro tem 376 páginas. Quando eu estava perto da página 240, comecei a ficar ansiosa. 

Mais de metade do livro tinha passado e nada concreto acontecera. Pela página 270 cogitei abandonar a leitura e então quase na página 300 houve uma surpresa que me instigou a terminar o livro. 

Ora! Livros de começo de séries são para delimitar o terreno e apresentar os personagens, sim mas, para mim, algo tem de acontecer! A ação mesmo só foi começar no final e mesmo assim não foi como eu esperava. Na minha opinião, uma boa série deste estilo tem que ter uma trama de pano de fundo boa e um "caso" menor, relacionado a esta trama maior a ser resolvido em cada livro. Por exemplo, o clássico Harry Potter e a subestimada Saga do Tigre, da Colleen Houck. 


Em cada um, desde o primeiro, temos uma questão
a solucionar e então no final da série o desfecho maior

Acho que ficou faltando um propósito maior para o primeiro livro, mais do que somente conhecermos os personagens e o tal tesouro que eles buscam, mas não foi só isso que me desestimulou

As migalhas de explicação que são dadas sobre a mitologia das linhas ley são muito esparsas no livro. Acabei ainda sem poder explicar bem o que são. Outro fato que me deixou bem desanimada é que, mesmo sendo uma leitora experiente de fantasia e outros gêneros, houve alguns casos em que a autora cobriu tanto as "pistas" das explicações das coisas que só percebi que era para ser uma pista quando os personagens mencionaram bem mais tarde. Para os que já leram, estou me referindo principalmente ao motivo de Gansey ter medo de abelhas e estar nessa busca fantástica.

Contrariando o maravilhamento de muitos muitos leitores e booktubers que conheço, não achei esse livro maravilhoso. Achei falho e pouco empolgante. Quando comecei a empolgar na leitura novamente, o "troço" acabou e meu medo é tão grande de ter que ler um novo livro arrastado - mesmo que com personagens maravilhosos e uma ideia ótima - que não pretendo pegar a continuação tão cedo. 

Ah! Já ia me esquecendo. Os garotos corvos são adolescentes que estudam numa escola em que o símbolo em seu uniforme é um corvo. Não é o tipo de fantasia (pelo menos não até o fim do livro um) em que pessoas se transformam em corvos ou nada assim. Apesar disso, há um animal corvo que aparece na trama e parece que terá alguma importância no futuro da série.

Outra coisa importante. Apesar de eu não ter notado nenhum indício de nada deste tipo, ouvi dizer que nos livros seguintes descobrimos que um dos personagens é homossexual e outro deles pode ser bissexual. Eu sabia disso desde o começo deste livro e não notei nada que indicasse alguma dessas coisas neste volume.

Acho que teria gostado mais se houvessem pessoas-corvo e homossexuais neste livro =D Não gostei da leitura, dei apenas duas estrelas, mas esta é apenas minha opinião. Se você se interessou pela sinopse e gostou de outros livros da autora, pode gostar bem mais deste livro do que eu. Boa sorte!

Recomendaria?? Não recomendo, apesar da capa linda, não gostei da leitura.

Releria?? Não pretendo reler e as chances de eu continuar com a leitura são baixas neste momento.